Nossa História

História do Município de Solidão – Pernambuco

Segundo depoimento de pessoas idosas, o atual município de Solidão teve origem no meado do século XIX, quando o senhor Euzébio, conhecido como o bandeirante, andava a procura de minérios, e chegando nessa localidade ficou morando sob um juazeiro, depois adquiriu as terras onde fixou residência com sua família.
Com o passar do tempo doou as terras a sua filha de nome Conceição, que posteriormente vendeu a um senhor vindo do município de Monteiro, Paraíba, por nome de Jesuíno Pereira, por volta de 1870, embora só veio morar na localidade em 1907, quando começou a construir algumas casas de tijolos (alvenaria). Por ser um homem religioso resolveu convidar o padre Carlos Cottart que morava em Afogados da Ingazeira, para celebrar uma missa em sua residência, exatamente no ano de 1910, quando o padre chegou na casa do senhor Jesuíno, exclamou ?Que solidão!? e o anfitrião perguntou-lhe, ?que significa isso? e o padre respondeu-lhe, solidão é um lugar deserto, isolado, e então ficou sendo chamado de solidão?.
Era vontade do Sr. Jesuíno construir uma capela para devoção, porem faleceu mesmo antes de iniciar a obra, ficando a incumbência com sua viúva e o senhor João Batista de Oliveira, naturalmente com ajuda de todos os moradores. A construção ficou pronta em 1947 e foi colocada a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, que é a padroeira do município.
Como a cidade fica localizada no sopé da Serra do mesmo nome, o padre Osvaldo da cidade de Tabira, juntamente com a população, construíram uma escadaria com uma gruta onde colocaram uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes, ao lado da gruta começou a minar por entre as pedras uma água límpida, que foi usada bastante tempo como milagrosa e começou a surgir as romarias, até os dias atuais são pagas bastantes promessas à Nossa Senhora de Lourdes pelos romeiros, por graças alcançadas.

Gentílico: solidanense

Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Solidão pela lei municipal nº 3, de 10-02-1937, subordinado ao município de Afogados da Ingazeira.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito de Solidão figura no município de Afogados da Ingazeira.
Pela lei estadual nº 418, de 31-12-1948, o distrito de Solidão passou a fazer parte do novo município de Tabira. Confirmado pela lei estadual nº 421, de 31-12-1948.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Solidão figura no município de Tabira.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de de 1-VII-1960.
Elevado à categoria de município com denominação de Solidão, pela lei estadual nº 4969, de 20-12-1963, desmembrado de Tabira. Sede no antigo distrito de Solidão. Constituído do distrito sede. Instalado em 14-03-1964.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Transferência distrital
Pela lei estadual nº 418, de 31-12-1948, confirmado pela lei estadual nº 421, de 31-12-1948, transfere o distrito de Solidão do município de Afogados da Ingazeira para o novo município de Tabira.
LOCALIZAÇÃO MUNICIPAL
O município está localizado na Macrorregião do Sertão Pernambucano e na Microrregião do Pajeú, com uma área territorial de 130,1 km2, limitando-se ao Norte com o estado da Paraíba, ao Sul com Carnaíba e Afogados da Ingazeira, Leste com Tabira, ao Oeste com o estado da Paraíba. A sede municipal está a 600 m de altitude em relação ao nível do Mar, Tem sua posição geográfica determinada pelo paralelo de -7º 35 60 da latitude -37 39 07,25 de longitude.
O clima é semiárido quente, com temperaturas variando entre 20º C e 36ºC

Fonte

IBGE